top of page
  • Foto do escritorAna Neves

Como um advogado REALMENTE agrega valor na era ChatGPT?

Enquanto me preparava para palestrar a convite da ABF, Associação Brasileira do Franchising, sobre ChatGPT, me debrucei sobre esta pergunta para encontrar a melhor resposta.

A conclusão a que cheguei, foi que já venho respondendo a esta pergunta, há pelo menos 2 anos, e nem percebi.


Desde 2020, quando a pandemia estourou, as empresas reorganizaram sua forma de trabalhar e reviram suas prioridades. Consequentemente, os parceiros de negócios e fornecedores de serviços também se ajustaram para acompanhar a nova realidade do mercado e a maior dependência da tecnologia.


Neste momento, percebi que a implantação de novas plataformas e a transformação digital na BOG não eram só ações importantes, mas sim vitais para podermos dar conta das novas demandas dos clientes.


E quando falo em novas demandas, refiro-me a necessidade das empresas de serem mais estratégicas e assertivas em suas decisões. Concluí que precisávamos trabalhar num formato mais analítico, gerar e gerenciar dados. Resumidamente, entender o comportamento da vida jurídica dos clientes. E a tecnologia era o único caminho para alcançar este objetivo.


Desde então, investimos na implantação de plataformas para gerar dados e uma visão jurídica estratégica de cada cliente. Disponibilizar informações de forma mais fácil e rápida, on demand. Mergulhei para aprender uma nova forma de trabalhar, dediquei tempo em cursos para ter intimidade com a tecnologia e adquirir um novo mindset.

Quem nunca ouviu brincadeiras sobre o conservadorismo dos advogados ou sua resistência a tecnologia? Pois é. Talvez o aprendizado mais importante que ganhei foi enxergar a tecnologia como minha melhor parceira de trabalho.


Hoje, mais de dois anos depois, posso dizer que a jornada foi desafiadora, mas muito enriquecedora. Até para os clientes. A troca de ideias com eles ao longo deste percurso nos possibilitou implementar inovação mais em linha com a realidade de negócios deles e até ajudá-los em suas próprias jornadas de transformação.


A inteligência artificial e a tecnologia disponíveis hoje no mercado podem nos munir de informações, as quais, se transformadas em dados de inteligência estratégica, apoiam a maior eficiência e precisão das orientações jurídicas. E é isso que os clientes querem.


É assim que um advogado REALMENTE agrega valor na era ChatGPT. Evoluindo.


Sandra Brandão

Advogada e Sócia da BOG Advogados

Comments


bottom of page